BPO - DFC no Radar Contábil

Atualizado: 28 de nov. de 2018

BPO - DFC no Radar Contábil


1 - Alex Mantovanni alex.mantovanni@bpoconsulting.com.br

11- 3372-1860



Sem dúvida esta é a demonstração financeira elaborada pela contabilidade mais intuitiva para utilização pelos empresários em geral. Ela é a demonstração que aproxima mais o empresário por sua simplicidade. Ela mostra o fluxo do dinheiro na empresa. Diz ao empresário como entra e sai o recurso equivalente de caixa. O empresário não precisa conhecer a fundo conceitos de caixas de competência.

Aquele que faz uso da DFC em sue dia-a-dia consegue identificar o resultado do fluxo operacional em caixa. Neste material temos a teoria e prática sobre a DFC.


Dinâmica do Fluxo


O fluxo baseia-se na variação das contas de um período para outro da perspectiva de CAIXA. O raciocínio é simples ENTROU ou SAIU do Caixa. Devemos compreender e analisar as variações permutativas de como os equivalentes de caixa transitam pelas contas.


1. Cliente = A conta Clientes (contas a receber) variou de 77k em 2016 para 127k em 2017 (77.000 – 127.000 = -50.000) isso DIMINUIU meu caixa, pois vendi a prazo, este recurso não ENTROU no caixa. Deixamos de percebê-los em caixa.

2. Mercadorias = A conta de estoque variou de 18k em 2016 para 10k em 2017 (18.000 – 10.000 = 8.000) Isso AUMENTOU recursos em caixa, pois em geral baixamos pela venda.


DRE - Contas de Resultado


Utilizaremos balancete ou DRE para trabalhar valores econômicos ou contábeis que devam ser expurgados da DFC. São valores na contabilidade que não tem ou terão contrapartida de caixa ou equivalentes como Depreciação, Amortização, Ajuste de Valores, Impostos Diferidos, Despesas Diferidas e demais.


DFC:

A elaboração da DCF começa com o ajuste do resultado (lucro ou prejuízo).



Lucro Ajustado - Neste exemplo adicionamos valores contábeis que não interferem em caixa.

Fluxo Atividade Operacional – Lista o fluxo operacional de maneira sintética tratando na sua composição em destacar a relevância das contas alinhadas ao ciclo operacional.

Fluxo Atividade Investimento – Neste exemplo como houve investimento, este recursos que “estava” em caixa foi empegado na aquisição de ativo que impacta caixa negativamente.

Fluxo Atividade Financiamento – Neste exemplo o valor negativo representa que pagamos ou amortizamos valores de empréstimos. Pagamento de empréstimos onerou/diminuiu caixa.

Produto da soma dos grupos é o resultado do fluxo de caixa.

Planilha




Como sabemos se está certo? Bateu?

Como tratamos de registrar as variações patrimoniais segregando os lançamentos econômicos, o resultado das variações resultará no caixa e equivalentes de caixa. No balanço é a variação no disponível. Neste exemplo é de -2.000.



DFC no Radar

O Radar Contábil gera a DFC. Com base no exemplo acima, montaremos a demonstração no Radar Contábil.


***NOTA: Este exemplo trará apenas um período de movimento, a despeito da norma, para melhor compreensão didática.


No Radar Contábil acesse Cadastro > Plano Alternativo:

Plano Alternativo é uma ferramenta no Radar com um funcionamento bem simples. Você monta livremente planos de contas trabalhando a lógica de montar as classificações em grupos. Depois você apenas indica as contas para compor os valores desta composição que você montou.



1 – Você monta quantos planos quiser.

2 – No Radar esta ferramenta serve apenas para a DFC.




Apresentação da Tela do Plano Alternativo.


Exemplo 1:

Vamos fazer a montagem inicial. Vamos compor o valor do resultado. O sistema trata as contas de resultado trazendo saldo, e contas patrimoniais pela variação.



Na coluna 1 criamos as contas totalizadoras. Em seguida criamos a conta analítica até “Lucro Bruto” e vincularemos a conta. Neste exemplo o Lucro Bruto é Receita – Despesas. Então a conta título Receita é vinculada somando, e a conta despesa é vinculada subtraindo.

*** NOTA: Se a apuração do resultado (zeramento) estiver lançada, deve ser excluído ou o respectivo histórico desativado.

Exemplo 2:



Na linha da DFC (+/-) Outras Obrigações é a composição de:

É a SOMA das variações das contas patrimoniais de:

210101 – OBRIGAÇÕES SOCIAIS (Conta Título)

21000 – OBRIGAÇÕES FISCAIS (Conta Título)

MENOS a variação de:

IRPJPre – Provisão p/ IRPJ L. Presumido

CSLPre – Provisão p/ CSL L. Presumido

No exemplo acima é que seguimos a instrução de segregação do IRPJ e CSL.


Gerando a DFC



Na tela de filtro de relatório, selecione o plano alternativo e o grupo de contas para equivalente de caixa.




Clique aqui para Exemplo de DFC e Planilha

Venha para a BPO - Assessoria Contábil e Financeira

Elaborado por: BPOConsulting

Alex Mantovanni

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo